CidadesFrancisco MoratoSaúde

Mitos e verdades sobre o uso de máscara de proteção

778leituras

Muitas pessoas não gostam de usar as máscaras de proteção, seja pelos motivos mais simples ou complexos. Entre eles a aparência, a dificuldade para respirar ou a dúvida de que se usar máscara ou não, ajuda na prevenção ao novo COVID-19. Exatamente por esses motivos, trouxemos os mitos e verdades sobre o uso da máscara.

 

  • Máscaras de tecido podem ser lavadas com água sanitária para garantir a desinfecção?
  • Verdade.A máscara de tecido pode ser lavada e, para sua higienização, recomenda-se a lavagem com água sanitária, deixando-a de molho por cerca de 30 minutos. Vale salientar que, mesmo que essa máscara possa ser lavada, o recomendado é que ela não seja compartilhada com outras pessoas.
  • Com máscaras pode contrair o Coronavírus?
  • Verdade. A máscara protege contra a doença, mas não a evita. Existem outras formas de contrair o Coronavírus mesmo estando de máscara. A principal forma de contágio é através do ar, quando a pessoa contaminada tosse ou espirra, espalhando o vírus. Outra forma é o contato das mãos em superfícies contaminadas em até 24 horas após a eliminação do vírus, por isso é importante evitar tocar olhos, nariz e boca sem higienização adequada das mãos.
  • Máscaras cirúrgicas podem ser reutilizadas, desde que não estejam sujas
  • Mito. As máscaras vendidas em farmácias são descartáveis e após o uso, devem ser jogadas no lixo. Para fazer o descarte você deve retirá-la pelos elásticos laterais e deixá-la em uma lixeira fechada, higienizando as mãos em seguida.

 

  •  O uso da máscara favorece o surgimento de infecções respiratórias· 
  •  Mito. O material não favorece o surgimento de fungos nem doenças respiratórias, desde que seja empregado de forma adequada. Os Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos lembram que os protetores faciais descartáveis “devem ser usados uma única vez” e que os reutilizáveis “precisam ser lavados e desinfetados depois de cada uso”. A mesma recomendação é feita pela OMS, que enfatiza a importância de trocar as máscaras quando ficarem umedecidas.