BrasilCidadesDestaqueEconomiaGeralNotíciasSaúde

McObrigado: McDonald’s atinge 100 mil refeições doadas a profissionais essenciais

367leituras

A campanha McObrigado, iniciativa do McDonald’s Brasil, alcançou a meta de 100 mil refeições doadas aos trabalhadores essenciais que estão na linha de frente no combate ao novo coronavírus, incluindo profissionais de saúde, caminhoneiros, catadores de materiais recicláveis e entidades que prestam assistência à população mais vulnerável.

Ao longo dos últimos quatro meses, as doações foram realizadas em 104 cidades de 21 estados brasileiros. Ao todo, 310 instituições foram contempladas no país.

--- Publicidade ---

“A iniciativa surgiu da vontade de mostrar a essas pessoas que elas não estão sozinhas neste momento. Transformamos nossos restaurantes em cozinhas do bem para apoiar, agradecer e valorizar os profissionais essenciais”, afirma Paulo Camargo, presidente da divisão Brasil da Arcos Dorados, empresa responsável pela operação do McDonald’s na América Latina e Caribe.

“Foi fundamental o engajamento de nossos franqueados e também de nossos funcionários, que deixaram mensagens de apoio e agradecimento junto às entregas. Essa é uma atitude que nos enche de orgulho e reflete o caráter humano que buscamos ressaltar no dia a dia de nossa companhia”, reforça o executivo.

Outra ação de apoio foi a doação de mais de 52 toneladas de ingredientes in natura utilizados nos restaurantes McDonald’s, como carne, ovo, tomate, alface, entre outros, para associações que combatem a fome em todo país, como Banco de Alimentos e Mesa Solidária. Além disso, a companhia buscou fortalecer o setor de alimentação ao compartilhar seus protocolos de segurança do alimento, higiene e desenvolvimento sustentável por meio de cursos online totalmente gratuitos, com mais de 2 mil inscritos.

“Acreditamos que a união de forças é um fator imprescindível para que o país possa superar esse momento. Com isso temos o dever de usar nossa escala e relevância no mercado para impactar positivamente a comunidade”, completa Paulo.

 

Fonte: Tribuna de Jundiaí.

Comentários no Facebook