BrasilCidadesDestaqueEconomiaNotíciasPoliticaSão Paulo

Governo de SP dá primeiro passo para Trem Intercidades

Banco Interamericano de Desenvolvimento já foi contratado e projeto deve sair dos papeis em 2020

1.24Kleituras

O Diário Oficial do Estado de São Paulo publicou, na última quinta-feira (22), o ato de Inexigibilidade de licitação para contratação do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com foco na estruturação do projeto de Trem Intercidades da Secretaria dos Transportes Metropolitanos.

A cooperação técnica terá um prazo de dois anos para estruturação do projeto que deve ligar São Paulo até Campinas. Representantes da pasta e do BID se encontraram para estudar alternativas financeiras para viabilizar o novo serviço.

O funcionamento dos trens intercidades está previsto para 2020, quando o Governo do Estado de São Paulo fará a licitação para a concessão por um prazo de 30 anos à empresa vencedora, com investimentos de cerca de R$ 7 bilhões.

Paradas

O TIC, projeto de trem expresso, sairá da Estação Barra Funda, na capital paulista, com paradas em Jundiaí e Campinas, numa extensão de 102 quilômetros e levará 60 minutos no trajeto.

Já o projeto da Linha-7 Rubi incluirá um Serviço Parador, ligando os municípios de Valinhos, Vinhedo, Louveira e Jundiaí até Francisco Morato, com extensão de 65 quilômetros e nove paradas.

A demanda prevista do Trem Serviço Expresso é de 68,5 mil passageiros por dia. Já no Serviço Parador da Linha 7-Rubi, entre Luz e Jundiaí, com extensão de 60,5 quilômetros e paradas em 18 estações, a demanda é de 442 mil passageiros por dia.

Reforma das estações

O governador João Doria afirmou, em março deste ano, que os municípios “vão ter que correr” para restaurar as estações. Jundiaí, Louveira e Valinhos estão com as estruturas revitalizadas prontas para uso.

Apenas a estação de Vinhedo, com prédio de 1910, precisará de reforma no valor estimado de R$ 500 mil, para que o local possa ser utilizado com segurança.