BrasilCaieirasCajamarCidadesDestaqueEconomiaFrancisco MoratoFranco da RochaJundiaíNotíciasPerusSão Paulo

Metrô e CPTM conseguem liminar para manter circulação de trens

1.68Kleituras

greve geral contra a proposta de reforma da Previdência convocada pelas centrais sindicais para sexta-feira, 14, conta com apoio de metroviários, ferroviários, motoristas e cobradores de ônibus, que já decidiram pela participação ao movimento em assembleias. Motoristas da Grande São Paulo e Baixada Santista e de outras cidades do estado também prometem parar. O Metrô conseguiu liminar para manter 100% do quadro de servidores nos horários de pico e 80% no restante. A CPTM conseguiu liminar para manter 100% do quadro durante todo o horário de operação, de acordo com a Secretaria de Transportes Metropolitanos.

“Colocar parte do sistema em funcionamento é um grande risco. Colocar um número de trens insuficiente para levar a população pode criar muitos problemas de segurança. Na audiência, vamos ponderar tudo isso com o tribunal”, afirma o coordenador geral do Sindicato dos Metroviários, Wagner Fajardo, que participará da reunião marcada para o início da tarde de quarta-feira, 12, no Tribunal Regional do Trabalho. Os funcionários do Metrô voltam a se encontrar na quinta-feira, 13, para organizar a greve e discutir os efeitos da liminar, segundo Fajardo. “Essa é uma forma de tentar impedir que se realize a greve”, diz.

Responsável pelo planejamento e organização do transporte urbano de passageiros nas cinco regiões metropolitanas paulistas – São Paulo, Baixada Santista, Campinas, Vale do Paraíba e Litoral Norte e região metropolitana de Sorocaba -, a secretaria repudiou a greve. “Serão adotadas as medidas judiciais necessárias para garantir o transporte dos passageiros. Esta Pasta considera o objetivo da paralisação ideológico e conta com o bom senso das categorias para que não prejudiquem mais de 7 milhões de trabalhadores que dependem diariamente do Metrô e da CPTM”, disse em nota.

A SPTrans, gestora do sistema de transporte público por ônibus da cidade de São Paulo, informou que acompanha a divulgação da adesão pelo sindicato e fará todos os esforços para garantir o deslocamento da população.